Acessibilidade e Comunicação

Hellow Suspirers!

Tudo bem?

Muitas vezes ao criar essa newsletter eu fico pensando como posso compartilhar um assunto de grande valor para vocês e com base nos princípios da Suspira.

Aqui na Suspira acreditamos que nossa criatividade tem o objetivo de formar e fortalecer comunidades entre marcas e pessoas, por meio da comunicação. Para isso, temos 3 pilares: boas ideias, inteligência e afeto.

Desses 3 pilares o afeto nos move muito para fazer tudo pensando e ouvindo as pessoas que serão impactadas com a comunicação que estamos produzindo.

Pensando nisso, quero trazer um tema que não costuma ser muito abordado ao fazermos comunicação, mas precisamos sempre pensar em como colocar no dia a dia da nossa comunicação.

A Inclusão Digital na Comunicação.

​​No Brasil, segundo o IBGE (2010) há aproximadamente 45 milhões de pessoas que apresentam pelo menos um tipo de deficiência. Esse número representa 23,9% da população brasileira.

Primeiro é preciso entender um fato, pensar em inclusão é um trabalho duplo. Como não temos hábito de criar uma campanha inclusiva, é preciso repensar toda a campanha.

“Um marketing acessível é garantir uma experiência comparável para todos.”

Além de atender o objetivo principal, que comumente vem na campanha, você precisa pensar em como essa mensagem também vai chegar a todos os públicos com uma boa experiência e com boa qualidade.

Por isso, é preciso repensar toda a jornada. Pensem em como uma pessoa que tenha limitação auditiva ou visual pode ter a mesma qualidade de experiência de marca que qualquer outra pessoa.

O primeiro passo então é entender como é a navegação. Cegos e pessoas com baixa visão, navegam por meio de softwares que leem a tela, e “narram” o conteúdo. Os surdos, por sua vez, utilizam Libras, podem ter dificuldade de compreender o português. Pessoas com limitações motoras podem navegar pela boca, pelos olhos ou por comandos de voz.

Uma boa forma de transmitir a mensagem é pensar em uma comunicação multissensorial. Priorize legendas, textos com áudios e imagens com descrição. Uma forma muito usada é a hashtag #PraCegoVer. Se for possível, espalhe ao máximo o conteúdo em diferentes plataformas.

Ao pensar no visual o simples é essencial. Priorize fontes mais fáceis de ler e contraste. Textualmente, pense em palavras e sonoridade simples. Busque frases e parágrafos menores, evite o uso da voz passiva e figuras de linguagem.

Se lembre! Uma boa comunicação não é só sobre meio e mensagem, mas sobre se fazer compreendido de forma clara e eficiente.

Essa sementinha que deixo aqui na news de dia de hoje é também uma sementinha que plantei aqui na Suspira. Como disse lá no começo, é mudar um hábito e aprender a fazer diferente.

Bora?

Boa semana!

Rafael Bersan

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *