TikTok - Acorda Pedrinho

Olá, Suspirers!

Essa semana, quero trazer para vocês um assunto que provavelmente passou na sua timeline: artistas x TikTok.

Há um tempo atrás, já falamos como o TikTok tem mudado nossa sociedade, aumentando a ansiedade com o consumo de vídeos cada vez menores, impactando plataformas como o Youtube e a produção de séries e filmes.

Quero deixar claro que não quero demonizar o TikTok, mas trazer uma conversa crítica para podermos ver o outro lado e o que estamos construindo. E que o verdadeiro vilão dessa história é, e sempre foi, a indústria da música.

Se hoje vamos falar sobre o mercado da música e TikTok, temos que falar como a ferramenta ajudou novos artistas. Pensa quantas músicas se popularizaram e impulsionaram carreiras, que provavelmente, a maior parte das pessoas não ouviria, porque a indústria da música nunca apostaria em lançar um artista independente. Afinal, seria arriscar demais.

Lógico que, como qualquer sucesso, as pessoas tentam criar fórmulas para replicar. E isso sim empobrece. Um bom exemplo é como as músicas atuais estão sendo feitas para ser hit no TikTok: refrões de pegam, lançamentos coreografados e muitos publis dançantes para lançamento.

A briga entre gravadoras e artistas não é de hoje.

Porém, a nova treta é sobre como as gravadoras estão exigindo dos grandes artistas que façam pelo menos um viral antes de lançar uma música ou álbum. O caso veio à tona na semana passada pela Halsey, que expôs um áudio da sua gravadora.

Logo após, diversos artistas também vieram às suas redes para falar da exigência. Alguns casos viralizaram, como dos artistas: Ed Sheeran, Florence, Adele e Anitta.

Ed Sheeran comeu salgadinhos para viralizar, Florence pediu ajuda, Adele já falou que não vai produzir música para TikTok e Anitta confessou que a música não vai para o rádio se não viralizar. Anitta, aliás, só teve seu álbum lançado, após 2 anos engavetado, quando teve seu primeiro viral com Envolver.

Para quem está começando, essa medida até pode fazer sentido. Uma jogada de marketing.

Mas pense em artistas consagrados e em estilos muito diferentes do clima da plataforma, se submetendo a essas imposições. Para ilustrar, pare tudo que está fazendo agora e imagine um viral dançante da Adele. Rolling in the deep com coreografia TikTok? Seria possível?

Nessa discussão a Adele colocou um bom ponto: “Se todo mundo faz música para o TikTok, quem faz música para a minha geração?”

Segundo o TikTok, todo mundo está na plataforma. Mais melhor que isso, quem está, passa muito tempo na plataforma que tem uma poder incrível. Separamos alguns dados para vocês entenderem:

  • Há 1 bilhão de usuários ativos no TikTok e o Brasil é o segundo país que mais usa o app;

  • 66% dos usuários têm menos de 30 anos;

  • Os brasileiros passam cerca de 5,4 horas por dia no TikTok;

  • 35% dos usuários reduziram o tempo de consumo da TV desde que baixaram o TikTok;

  • 38% dos brasileiros já compraram algo a partir de um anúncio visto na plataforma.

Bem, não vou me alongar mais. Acho que esse assunto está apenas começando e quero saber de vocês, o que pensam sobre esse tema? Me mande mensagem ou responda esse e-mail, vamos conversar mais sobre?

Boa semana!

Rafael Bersan

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *